Bem Vindo ao Pedroso Consultoria! - Você está na página Servicos
CONSULTORIA:  Análise dos Riscos de Cronograma
CONSULTORIA: Análise dos Riscos de Cronograma

Essa prática (RP- Recommended Practice) da AACE (The Association for Advancement of Cost Engineering) recomenda a análise integrada dos riscos de programação (cronograma) e dos custos para estimar o nível adequado da reserva de contingência, de ambos, nos projetos. A principal contribuição deste RP é incluir o impacto do risco de programação (prazo) nos custos e, portanto, sobre a necessidade de reservas para contingências de custo. Os benefícios adicionais incluem a priorização dos riscos, alguns dos quais são riscos de prazo, de modo que a mitigação de riscos pode ser conduzida de uma forma eficaz em termos de custos. Pode-se utilizar diagramas de dispersão correlacionando prazo-custo para o desenvolvimento de metas conjuntas de cronograma e custo e também  obter o fluxo de caixa probabilístico que mostra o fluxo de caixa em diferentes níveis de certeza.

Os métodos apresentados na RP tem como base a integração da estimativa de custo com o cronograma do projeto, obtida pelo carregamento dos recursos e pela alocação de custos das atividades do cronograma.  A probabilidade e o impacto dos riscos/incertezas são especificados e ligados às atividades e custos que poderão impactar. Utilizando Monte-Carlo no cronograma simulam-se ambos, prazo e custo, permitindo que os impactos de risco no cronograma e nos custos possam ser calculados e previstos.

A Simulação de Monte-Carlo é a abordagem mais comumente usada para analisar o impacto de múltiplos riscos no cronograma geral do projeto ou o risco de custos. Simulando um cronograma do projeto carregado com recursos obtemos, na mesma simulação, tanto o risco do cronograma como as implicações do risco de custo . O principal benefício desta RP é a estimativa de risco de custo do projeto, já que a análise de risco do cronograma neste cenário não é diferente de uma análise de risco do cronograma feito sem o envolvimento de recursos ou custos.

Esta análise identifica os riscos de alta prioridade com relação ao custo e cronograma, o que auxilia o gerente de projeto no planejamento de ações para mitigação dos riscos. Alguns gerentes de projeto rejeitam estes resultados, mas eles podem estar perdendo uma oportunidade de mitigar os riscos e obter um resultado mais favorável.

Em resposta a este desafio apresentamos nossos serviços de consultoria para habilitar os gerentes de projeto na aplicação dos princípios de modelagem de Monte-Carlo na análise de riscos do cronograma dos projetos.

Este serviço de consultoria utiliza como ferramenta o software Primavera Risk Analysis da ORACLE.

Ao integrar diretamente os cronogramas dos projetos com as estimativas de custo para modelar riscos e incertezas o Primavera Risk Analysis fornece uma solução para análise de risco de custo e de prazo (cronograma), no ciclo de vida do projeto, para os softwares de gerenciamento de cronogramas, Primavera e MS-Project.

Nosso trabalho consiste em determinar as contingências, os planos de resposta aos riscos, bem como relatórios detalhados dos níveis de confiança do projeto. Esta variedade de relatórios, como histogramas de risco, tornados e gráficos de dispersão, permitem aos Gerentes de Projeto facilmente identificar os fatores de risco, antes de divulgar o cronograma, e através de ações ou reprogramação ajustar o cronograma.

A priorização dos riscos que impactam o cronograma é um dos principais benefícios da Simulação. Através da correlação do impacto dos riscos em cada atividade com seu impacto na duração final do projeto podemos priorizar os riscos para posterior mitigação. Esta é a ferramenta que o gerente de projeto pode usar para melhorar a probabilidade do projeto de terminar dentro do prazo planejado.

O escopo dos trabalhos consisti em:

Cálculo do Nível de Confiança das metas de prazo do cronograma – Visa medir o nível de confiança para atingir os objetivos de prazo do projeto de acordo com o planejamento.

  • Importação do cronograma do Primavera/P7 ou MS-Project;

  • Execução do processo Schedule Check para verificação das inconsistências do cronograma gerando o relatório Schedule Check Report.

  • Incorporação dos parâmetros das incertezas, relacionadas ao diagrama de rede e duração das atividades, que serão coletados durante um workshop de riscos:

  • Execução da simulação do cronograma, preparação do relatório.

Resultados do Trabalho – Após a execução da simulação serão apresentados os itens listados abaixo.

  • Qual a probabilidade que as metas de custo e prazo do cronograma do projeto sejam cumpridas, frente aos riscos que podem afetar esse plano?

  • Quanto de contingência de prazo e de custo deve ser fornecida para cumprir a meta do limite de risco ou certeza aceito pelas partes interessadas? 

  • Quais riscos são mais importantes para a realização do projeto dentro do prazo e custos estimados?

  • Obtenção dos resultados de riscos comuns (custo-prazo) apresentados como um diagrama de dispersão calculado durante a simulação, que mostra a possibilidade de cumprir os dois objetivos de prazo e de custos, em conjunto. Analisar o prazo e o risco do custo juntos também leva a um fluxo de caixa probabilístico ao longo do tempo.

Parceiros/

Entre em contato estamos à disposição
contato@pedrosoconsultoria.com.br
(11) 99628-1069
Este site tem todos os direitos reservados
Desenvolvido por d.Tavares